Foto: Monise Terra

BRUNO BARBOSA: BAIXO ELÉTRICO E ACÚSTICO
RUBINHO ANTUNES: TROMPETE E FLUGELHORN
PHILIPPE BADEN POWELL: PIANO E TECLADOS
DANIEL DE PAULA: BATERIA E PERCUSSÃO

LUDERE

É uma imerção musical entre o trompetista Rubinho Antunes, o pianista Philippe Baden Powell, o baixista Bruno Barbosa e o baterista Daniel De Paula resultando em uma colisão atmosférica cheia de vitalidade e honestidade que só pode ser encontrada na música.

Sua instrumentação e estrutura rítmica seguem componentes tradicionais do jazz, mas esses músicos desafiam essa tradição e abordam o som com influências internacionais e globais. Eles podem ser intensos e relaxados simultaneamente. Pode-se reconhecer o samba ou qualquer ritmo com raízes brasileiras em seu repertório porque a fluidez da cultura que exibem é profunda.

Ludere é uma palavra latina que significa “tocar, brincar e jogar”, o que define perfeitamente a capacidade deste grupo de tocar com o som e com os detalhes técnicos da produção musical, dando vida às músicas. Suas canções estão sempre propondo humores e formas de improvisar a importância do ritmo e da melodia em primeiro plano.

Cada integrante traz sua própria dinâmica ao grupo: a frieza e inteligência de Philippe e Rubinho combinadas com a força e expressão de Daniel e Bruno criam um equilíbrio único em sua música.

O pai de Philippe é o gênio da guitarra Baden Powell e é uma das principais influências no repertório do grupo. Além de composições próprias, o quarteto traz ao palco diferentes versões dos brilhantes temas de Baden, especialmente os Afro-Sambas. Mas, por favor, não espere um arranjo comum de nenhum dos clássicos de Baden. Ludere cultiva o que é próprio, trilhando os caminhos do jazz contemporâneo e da invenção.

Ludere tem 4 discos lançados: “Ludere”(2016), “Retratos”(2017), “Live at Bird’s Eye”(2019) e “Baden Inédito”(2020).

Scroll Up